domingo, 21 de outubro de 2018

Narcos, latifundiários e corruptos paraguaios em campanha contra justiça a agricultores de Curuguaty

Guillermina defende ampla mobilização em defesa da verdade e da justiça

Renomada ativista pelos direitos humanos, Guillermina Kanonnikoff defende juízes que libertaram os camponeses e conclama mobilização pela independência dos poderes

Leonardo Wexell Severo

Uma insidiosa campanha de difamação tomou conta do Paraguai logo após os juízes Arnaldo Martínez Prieto e Emiliano Rolón terem se pronunciado, em nome do Supremo Tribunal de Justiça, pela inocência dos camponeses de Curuguaty, injustamente condenados a até 35 anos de prisão.

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Paraguai: Jurado processa juízes que libertaram camponeses de Curuguaty

Paraguaios condenam manipulação da Justiça para manter a impunidade

A recente decisão do Jurado de Acusação de Magistrados (JEM) do Paraguai de processar os juízes Emiliano Rolón e Arnaldo Martínez Prieto - por terem revogado a sentença dos 11 camponeses condenados pelo massacre de Curuguaty - volta a mobilizar o país vizinho contra a vergonhosa manipulação do judiciário pelos grandes latifundiários.
Leonardo Wexell Severo

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Em visita ao Brasil, nicaraguenses denunciam “ditadura sanguinária de Ortega”


Yader, Carolina e Ariana, no Sindicato dos Jornalistas de SP
“Desde 18 de abril, já são mais de 480 assassinatos, 600 desaparecidos e 250 presos políticos”, afirmam lideranças de organizações estudantis, ambientais e de familiares de vítimas

Leonardo Wexell Severo

Você já pensou em ter seu irmão assassinado com um tiro no coração, dentro de uma universidade, pelo simples fato de estar levando água e alimento a estudantes que resistiam pacificamente à repressão governamental? E a ter todos os seus dez colegas presos por fundarem uma associação universitária? E a de ser perseguido por integrar um movimento contra a extração predatória de ouro e a contaminação da água dos rios?

sábado, 8 de setembro de 2018

Vitória: Paraguai liberta Villalba, último preso político de Curuguaty


Rubén Villalba, símbolo da determinação do povo paraguaio
Camponeses haviam sido utilizados como justificativa para o golpe jurídico-midiático-parlamentar contra o presidente Fernando Lugo, em junho de 2012, após uma carnificina que deixou seis policiais e 11 trabalhadores rurais mortos. Condenados por crimes que não cometeram, camponeses inocentes ficaram mais de seis anos atrás das grades para criminalizar a luta pela reforma agrária e intimidar o movimento social no país vizinho. 94% das terras do Paraguai são destinadas à exportação.

Leonardo Wexell Severo

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Vitória da verdade:Justiça do Paraguai absolve os camponeses de Curuguaty



Néstor, Rubén, Arnaldo e Luis Olmedo: comemoração
Após mais de seis anos, magistrados tomam decisão histórica e revogam as mentiras do latifúndio e das transnacionais do agronegócio
LEONARDO WEXELL SEVERO
Em decisão histórica contra a mentira institucionalizada pelo latifúndio e pelas transnacionais do agronegócio, a Sala Penal da Corte Suprema de Justiça do Paraguai absolveu nesta quinta-feira (26) os camponeses acusados pelo massacre de Curuguaty.

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Paraguai: Vítimas de Curuguaty comemoram “Barraca da Resistência” exigindo anulação do juízo-farsa



Prefeito de Assunção, Mário Ferreiro levou seu apoio solidário, ao lado de lideranças políticas, religiosas e intelectuais

Leonardo Wexell Severo

Manifestantes solidários aos camponeses presos políticos de Marina Kue, em Curuguaty, no Paraguai, colocaram uma placa em frente ao Tribunal de Sentenças de Assunção, na última quarta-feira (4), demarcando os dois anos em que foi erguida no local a “Barraca da Resistência” exigindo a anulação do julgamento-farsa e a sua libertação.
Com o apoio do prefeito da capital, Mário Ferreiro, foi cimentada uma placa com os dizeres: “Aqui resistimos as mães e familiares dos mártires e condenados de Marina Kue, exigindo Justiça, Terra e Liberdade”.

sábado, 16 de junho de 2018

Paraguaios exigem justiça e reforma agrária nos 6 anos do massacre de Curuguaty

Ato realizado ao lado da rodovia que dá acesso ao acampamento de Curuguaty

Leonardo e Monica Severo


“Justiça, terra e liberdade” exclamava a enorme inscrição cuidadosamente desenhada com pedras sobre a grama ao lado da rodovia que dá acesso ao acampamento de Marina Kue, em Curuguaty. Ao fundo, uma gigantesca bandeira do Paraguai vitaminava o espírito de combate que unia as centenas de lideranças populares, trabalhadores rurais, religiosos e intelectuais reunidas para denunciar a farsa jurídica.